Se meus joelhos não doessem mais…

Se meus joelhos não doessem mais…

Se meus joelhos não doessem mais…

Pois é, a dor no joelho é uma das queixas mais frequentes no consultório do Médico do Esporte e do Ortopedista. As causas dessa dor podem ser variadas, entretanto, existem problemas que acometem mais uma faixa etária que outra.

NA INFÂNCIA, a descoberta e o entusiasmo pelos esportes pode ser acompanhado de quedas e traumas, que levam as contusões e, eventualmente, fraturas do esqueleto imaturo (“lesões da placa de crescimento”). Por outro lado, nas queixas de dor não relacionadas a trauma, as articulações vizinhas (coluna, tornozelo e principalmente, o quadril), podem estar envolvidas na causa (“dor referida”), e portanto, devem ser avaliadas sistematicamente. Outro quadro frequente é a chamada “dor do crescimento”, que não apresenta causa estabelecida, tem caráter autolimitado e responde satisfatoriamente com o tratamento conservador (repouso e analgésicos).

NO JOVEM E NO ADULTO, o sedentarismo, assim como, o treinamento excessivo ou inadequado leva a sobrecargas e desequilíbrios funcionais e, por conseguinte, o desenvolvimento de tendinites e bursites nos joelhos. No vôlei, basquete, judô e principalmente, no futebol, os entorses são eventos frequentes e, são o principal mecanismo de lesão ligamentar do joelho. Nos dias de hoje, é comum conhecermos alguém que teve alguma lesão ligamentar, ou mesmo, foi operado, em especial, a lesão do ligamento cruzado anterior. As fraturas também constituem outra possível causa de lesão e são produzidas por traumas de alta e baixa energia (fraturas da patela, tíbia proximal e fêmur distal).

ACIMA DOS 45 ANOS (RUMO A TERCEIRA IDADE), as causas de dor no joelho estão, mais comumente, relacionados as alterações degenerativas. Podemos assim dizer que é o processo evolutivo natural pelo qual todos nós iremos passar um dia! Isto é, nada mais que o envelhecimento de estruturas ósseas, capsulo-ligamentares (meniscos, ligamentos…), ou seja, a artrose evolui gradativamente e, as queixas de dor, crepitação, limitação de movimento serão proporcionais a evolução da degeneração articular.

O conceito de que a atividade física regular desenvolvida através do esporte melhora a performance do sistema cardiovascular, e paralelamente, traz benefícios importantes ao sistema musculoesquelético tem sido muito enfatizada. Entretanto, vale ressaltar que o esporte não é atividade isenta de lesão, particularmente no joelho.

Na pratica clínica e esportiva, a grande maioria dos casos de dor no joelho são decorrentes de atividades físicas ou laborativas desenvolvidas de forma impulsiva, empírica, e evidentemente de mecanismos traumáticos. Desse modo, a avaliação pré-participacional e fundamental, pois auxilia no diagnóstico de lesões pré-existentes, assim como, na identificação de desequilíbrios musculoesqueléticos que possam determinar outras lesões durante a atividade física.

Prof. Dr. Sérgio Piedade

Leia

Esses quilinhos a mais…

Esses quilinhos a mais…

Esses quilinhos a mais…

O mundo moderno e competitivo tem influenciado nossos hábitos alimentares e, cada vez mais, nós estamos privilegiando dieta rica em gorduras, sal e, principalmente, açúcar. Embora o Brasil tenha grande diversidade agrícola, nossa população consume cada vez menos alimentos como frutas, legumes e verduras. Esta mudança de habito alimentar aliado ao sedentarismo tem repercutido negativamente na saúde do brasileiro e contribuído para que mais de 50% da nossa população esteja com sobrepeso e, 1 cada 6 pessoas sejam classificadas como obesas, condição que acomete tanto adultos como crianças.

A obesidade é caracterizada como “excesso de gordura corporal não saudável que aumenta o risco de doenças (diabetes, hipertensão…) e a mortalidade prematura”. Ela e problema de saúde pública mundial pois, tem repercussões clínica, social, psicológica, e particularmente, na qualidade de vida destas pessoas.

Dentro deste contexto, o esporte recreacional ou competitivo apresenta-se como atividade catalizadora, que transforma e nos inspira a ter vida saudável. Ao mesmo tempo, nos estimula e nos conscientiza da importância da alimentação rica em verduras, legumes e frutas, pois ela nos aporta nutrientes, vitaminais e minerais, importantes para nossa saúde.

Praticar esporte deve ser atividade saudável e prazerosa, não importa a modalidade desde que nos faca bem! Correr, nadar…transpirar nos oferecem efeito psicológico estimulante, pois ao liberar as chamadas endorfinas (“nossos neurotransmissores do prazer”) temos a sensação de dever comprido, ou melhor, vencemos uma barreira: a inercia do sedentarismo.
Como você viu esses quilinhos a mais fazem uma grande diferença na nossa saúde! Pratique uma vida saudável, alimenta-se adequadamente, faca atividade física regular e combata o sedentarismo!

 Prof. Dr. Sérgio Piedade
Leia

Bebeu água?

Bebeu água?

Bebeu água?

Todos nós sabemos o quanto e prazeroso e faz bem beber um copo de água, principalmente, nos dias de calor! A água e elemento imprescindível a vida. Ela e um importante nutriente, fluido inodoro, não compressível e responsável pelo turgor celular. Ela atua como depurador de produtos do metabolismo celular, controla a temperatura corporal, lubrifica as cartilagens, protege vários órgãos contra choque e está presente em 40 a 70% da nossa massa corporal. É importante saber que nossos músculos possuem 70% de água por peso e, a gordura apenas 10%. Os alimentos, os líquidos e o metabolismo são as três fontes que proveem água para nosso organismo enquanto que, a perda diária ocorre através da urina, da pele, vapor de água no ar expirado e nas fezes.

Estima-se que as necessidades diárias de um adulto, em ambiente termo neutro, são de aproximadamente 2,5 litros de água. Entretanto, as condições ambientais (altas temperaturas), unidade relativa e nível de atividade física vão interferir diretamente no mecanismo de transpiração e controle da temperatura corporal. A perda de água e eletrólitos, quando excessiva, afeta a tolerância ao calor e interfere no rendimento, ou seja, a desidratação faz com que nos realizemos atividades físicas num nível inferior comparado a condição de hidratação. As crianças e os idosos são as populações mais suscetíveis a desidratação, pois muitas vezes dependem do auxílio de outras pessoas para ter acesso a água.

Como você viu hidratar e importante, mas como fazê-lo? Pois bem, a ingestão de líquidos, principalmente a água, antes, durante e após a atividade e ratificada pela literatura. Entretanto, a ingestão excessiva de líquidos pode levar a chamada “intoxicação hídrica”, condição que leva a hiponatremia (baixa concentração sérica de sódio) e por conseguinte, desiquilíbrio osmótico que aumenta influxo de água para tecido cerebral e com repercussões clinicas leves (cefaleia, mal-estar, confusão…) e graves (convulsões, coma, morte).

Mas não se assuste, são condições extremas e, que são perfeitamente evitáveis. A atividade física saudável e fundamental para melhoramos nossa “reserva biológica” e assim viver melhor e com qualidade. Você deve ter em mente que nos dias quentes nossas necessidades hídricas aumentam e que, a hidratação feita de forma adequada só nos traz benefícios. Beba de 2 a 3 litros de água por dia, ao despertar e entre as refeições. Não deixe de se hidratar durante a atividade física, a ingestão de 200 ml de água a cada 15 minutos ou a cada 2 km e, exercícios realizados por períodos superiores completar com ingestão de glicose, sódio, potássio.
Faca atividade física de forma saudável e regular. Mexa-se, hidrata-se e viva melhor!

Prof. Dr. Sérgio Piedade

Leia

Alongar é Preciso

Alongar é Preciso

Alongar é Preciso

A copa do mundo, os Jogos Olímpicos são eventos mundiais que despertam o interesse de todos nós e, ao mesmo tempo, estimula crianças, jovens, adultos e idosos a praticar exercícios. A importância da atividade física regular é altamente reconhecida, pois, ela tem efeitos benéficos nos sistemas cardiovascular, imunológico, musculoesquelético e assim, melhoram a qualidade de vida das pessoas. Dentro deste contexto, atividade física e os exercícios de alongamento estão sempre interligados! Mas, alongar e realmente necessário? Sim, ele e importante pois diminui a rigidez tecidual, melhora a amplitude articular e talvez possa interferir positivamente na prevenção de lesões. O American College of Sports Medicine recomenda esta atividade e salienta ser essencial aos praticantes de atividade física regular. Fisiologicamente, os tecidos biológicos quando submetidos ao alongamento apresentam diminuição progressiva na resistência a tração, até que se atinge um platô e, consequentemente, o equilíbrio funcional do tecido, chamado relaxamento de força.

E qual o melhor momento para fazermos o alongamento? Antes ou após atividade física? Pois bem, na pratica ambas as possibilidades estão corretas. Entretanto, vale ressaltar que se alongarmos muito antes da atividade, vamos estar muito relaxados e isso pode eventualmente, interferir no nosso desempenho esportivo. Assim, antes de iniciar uma atividade física, realize um aquecimento, aumentando gradativamente a intensidade. O aquecimento deve durar entre 10 a 15 minutos, pois ele permite que o aporte sanguíneo seja direcionado para os músculos e seguimentos anatômicos que serão utilizados durante a atividade, contribuindo para melhor desempenho muscular.

Os exercícios de alongamento são atividades realizadas dentro do limite fisiológico do tecido, de forma suave e gradativa. O tempo e a forma que realizamos o alongamento também interferem na resposta tecidual, ou seja, na efetividade do alongamento. Ele e particularmente interessante ao final da atividade física pois, contribui para o equilíbrio do sistema musculoesquelético. Na pratica clínica, o alongamento e, na maioria das vezes, realizado de forma empírica, ou seja, “alongar até o ponto de tensão sem dor”. Por outro lado, estudos em laboratório tem sugerido que manter o músculo alongado durante 30 segundos parece ser mais adequado e tempo superior não seriam necessários. Assim, embora a melhor maneira para realizar o alongamento ainda não tenha sido estabelecida, vale ressaltar que alongar e preciso e, nossos músculos e articulações agradecem!

Prof. Dr. Sérgio Piedade

Leia

Dr. Sérgio Piedade fala sobre praticar esporte durante o verão

Dr. Sérgio Piedade fala sobre praticar esporte durante o verão

Confira a entrevista do Prof. Dr. Sérgio Piedade

Médico responsavel pelo Vista Saude fez para o site da Faculdade de Ciencias Médicas da UNICAMP

http://www.fcm.unicamp.br/fcm/relacoes-publicas/saladeimprensa/especialista-da-fcm-esclarece-duvidas-sobre-atividades-fisicas-e-esportivas-durante-o-verao

Leia